Quem toma sertralina pode beber cerveja?

O uso de álcool está contra-indicada durante o tratamento com sertralina, apesar de não ser o indicado.

Pode surgir os efeitos de sonolência e a potencialização dos efeitos do álcool.

No entanto, não há uma interação grave entre as duas substâncias.

Quem toma sertralina pode beber cerveja?O mais importante é que se entenda que o tratamento com sertralina deve ser realizada de forma contínua e sem interrupções, já que isso pode interferir na evolução de seu tratamento.

Cada vez que pensamos na associação de antidepressivos e álcool que nos vem à cabeça a ideia de que “o consumo de álcool remove o efeito de sangue”, ou que “o consumo de álcool aumenta o efeito da medicação.

Há os que pensam que o uso dos dois pode causar danos no fígado ou o cérebro.

Todas estas afirmações são verdadeiras, mas que depende de qual é o medicamento de que estamos falando.

Existem medicamentos que têm o efeito de aproveitar, e para pior, com o consumo de álcool e de outras pessoas que são inibidos, pelo seu modo de ação.

No entanto, antes de falar sobre os efeitos do consumo de álcool com medicamentos, o que eu quero que partir de uma premissa que sempre se lida com o processo.

No caso de que não se deve beber durante o tratamento, seja de ordem nervoso, ansioso, ou até mesmo de alguma doença nos pacientes.

No caso da depressão, em particular, o consumo de álcool aumenta os sintomas da depressão, ou seja, um agravamento da condição de doença no corpo da pessoa.

Eu sempre digo aos pacientes que se deve beber quando se está bem, não está mal.

O consumo de álcool é um depressor do sistema nervoso central, se reduzem as capacidades cognitivas do indivíduo, o que dificulta o controle dos impulsos, o julgamento desinibindo no indivíduo.

Quem toma sertralina pode beber cerveja

O álcool e a depressão.
O consumo de álcool no período de depressão, o que pode aumentar a impulsividade e a critério da pessoa que, estando em uma família muito rica, e com o pensamento da morte, que pode aumentar até uma tentativa de tirar a própria vida.

O outro ponto é que o consumo de álcool também tem um grande potencial para a produção das pessoas com depressão.

Como se Sabe, a grande comunidade de homens de meia-idade, que são dependentes do álcool e a depressão é uma doença comórbida.

Tanto é assim que muitos usam o álcool como uma válvula de escape para aliviar a depressão. Não melhora com o primeiro lugar e, em seguida, gera uma doença grave, que é o do vício das drogas.

Portanto, o primeiro ponto de reflexão, trata-se da necessidade de que o uso de álcool, quando não se está bem ou se está em tratamento médico.

Tendo em conta que uma das consequências do alcoolismo, que é uma sucessão de perdas. O mesmo acontece com a depressão.

Sabe-Se que, como já dito, que o consumo de álcool é um depressor do sistema nervoso central, já que atua no sistema GABA (ácido gama amino butírico, é a principal molécula com efeito inibidor no sistema nervoso central).

Além disso, o consumo de álcool reduz os níveis de serotonina em nosso cérebro, e a longo prazo, um neurotransmissor relacionado com o estado de ânimo e a relação com a depressão.

A associação destes dois fatores é o que dá lugar a sua relação com a depressão, o abuso do álcool.

Quanto aos efeitos da interação entre os medicamentos antidepressivos e álcool, e contamos com uma ampla gama de atividades.

Sabe-se que o consumo de álcool é metabolizado no fígado e o uso prolongado de tempo, afeta as funções deste órgão.

Alguns medicamentos, como a Fluoxetina, a Sertralina, o Escitalopram e o Citalopram, também tem em sua passagem pelo fígado, e a interação que pode ser prejudicial para a pessoa.

O consumo de álcool também pode causar hemorragias gastrointestinais, potenciando os efeitos de alguns medicamentos também podem levar a que, como o Escitalopram, Citalopram, Fluvoxamina e Sertralina.

Geralmente, os medicamentos da classe dos Inibidores seletivos da Recaptação de Serotonina pode causar hemorragias, sobretudo em relação ao consumo de álcool.

A associação do consumo de álcool com medicamentos como a Fluoxetina, Escitalopram, Fluvoxamina, Citalopram pode gerar a alteração eletrolítica, ou seja, de sódio ou de alterações na glicose no sangue de uma pessoa, gerando um episódio de hipoglicemia.

Assim, nos damos conta de que o uso do álcool deve-se evitar ao máximo as pessoas que fazem com que o tratamento com antidepressivos, seja pela interposição da ação deste medicamento, seja pelos efeitos do álcool em nosso cérebro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here