Em primeiro lugar, para tentar entender o que é a insulina pós-prandial maior, temos que saber o que é a  insulina pós-prandial, não é? Em seguida devemos saber Insulina pós-prandial valores de referencia, quais são?

Pois bem, a insulina é um hormônio produzido no pâncreas e que permite que o organismo utiliza a glicose (um tipo de açúcar encontra-se em muitos dos hidratos de carbono, como a energia. Em seguida, ele também ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue.

O Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos, explica que quando os níveis de glicose no sangue são elevados, depois de que uma pessoa come, o pâncreas libera insulina no sangue e, portanto, a insulina, que diminui os índices de glicose no sangue, uma margem que se considera padrão.

Por sua parte, a palavra no post de comida, é definida pelo dicionário como “o que vem depois da refeição”. Ou seja, pode-se concluir que a dose de insulina pós-prandial, é que o nível de insulina no presente, depois de uma refeição.

De acordo com a Sociedade brasileira de Endocrinologia e Metabologia, o médico pode solicitar uma revisão independente da insulina no post da comida como uma forma de avaliar se o paciente conta com a resistência insulínica.

Além disso, o titular da insulina no post de alimentos pode pedir a um paciente com diabetes mellitus do tipo 2. para a avaliação da resistência à insulina.

O que é a resistência à insulina?

A resistência à insulina e se desenvolve quando as células dos músculos, a gordura e o fígado do corpo não respondem à insulina não é capaz de absorver com facilidade os níveis de glicose no sangue, explica o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos.

Como resultado, o pâncreas produz mais insulina ajuda a glicose a entrar nas células.

De acordo com o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos, enquanto que o pâncreas é capaz de produzir uma quantidade suficiente de insulina, apesar de que a fraca resposta das células aos hormônios), os níveis de glicose no sangue permanecem nas margens de forma saudável.

A principal complicação da resistência à insulina e o desenvolvimento de diabetes no mundo.

Segundo o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos, e entre os fatores de risco para o desenvolvimento da resistência à insulina, estão as seguintes:

Ter excesso de peso ou obesidade;
Tem mais de 45 anos de idade.
Um pai, uma mãe, irmã ou irmão com diabetes
A Falta de atividade física;
De ter problemas de saúde, como pressão arterial alta e níveis anormais de colesterol no sangue;
Antecedentes de diabetes gestacional;

Um histórico de doença do coração e acidente vascular cerebral (AVC);
Ter síndrome de ovário policístico;
Para fazer uso de medicamentos, como os glicocorticoides, os antipsicóticos e alguns medicamentos para o HIV;
Ter distúrbios hormonais, como a síndrome de Cushing e o cérebro;
Ter problemas para dormir, como a síndrome da apnéia do sono.

Insulina pós-prandial valores de referencia

O Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos, afirma que a prática de atividades físicas e a perda de peso, no caso de que seja necessário, a fim de que o paciente, que podem ajudar o organismo a responder à insulina.

No entanto, aqueles que foram diagnosticados com a resistência à insulina, é necessário seguir o tratamento que lhe tenha sido indicado pelo seu médico para fazer face a este problema.

Então, o que é e para o que significa que a dose de insulina pós-prandial aumentada?
Com base em um raciocínio lógico, devemos dar-nos conta de que a dose de insulina pós-prandial aumentada que corresponde à elevação da insulina após a celebração da comida por parte do doente. Mas o que significa isso?

De acordo com dados da Sociedade brasileira de Endocrinologia e Metabologia, quando ocorre um defeito na ação da insulina, o hormônio que normalmente está em um nível elevado no sangue.

A instituição disse que alguns dos métodos da matemática que faz uso da glicose e da insulina basal e/ou glicose no sangue e insulina pós-prandiais, é possível estimar se o paciente tem ou não da resistência à insulina.

Segundo a Sociedade brasileira de Endocrinologia e Metabologia, é possível que uma pessoa tenha um valor mais alto de insulina basal de insulina pós-prandial.

 Insulina pós-prandial valores de referencia, quais são?

De acordo com a informação que se encontre, não existem valores de referência estabelecidos para a dose de insulina pós-prandial está a cargo de um médico na interpretação destes valores, de acordo com as características de cada um dos pacientes.

Portanto, se o seu médico lhe pediu que se fizesse um exame para medir a insulina pós-prandial, uma vez recebidos os resultados, deve-se recorrer a ele para saber que é o que esses resultados significam, e como se deve proceder em relação a eles: por exemplo, se se deve seguir algum tipo de tratamento ou a modificação dos hábitos de vida, como alimentação e prática de atividade física, por exemplo.

Referências

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here